top of page
  • Foto do escritorMoreira & Mahle

Banco de horas sem controle de saldo é considerado inválido


O banco de horas é um mecanismo amplamente utilizado pelas empresas para flexibilizar a jornada de trabalho e assegurar o cumprimento das obrigações trabalhistas. No entanto, a falta de transparência e o controle deficiente do saldo de horas têm sido objeto de debates jurídicos.

A importância do controle de saldo no banco de horas:

O banco de horas consiste em um acordo entre empregador e empregado para compensar, em momentos futuros, as horas extras trabalhadas além da jornada regular. Essa prática é regulamentada pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e pode ser estabelecida por meio de acordos individuais ou normas coletivas. No entanto, é essencial que haja um controle preciso e transparente do saldo de horas, permitindo que o trabalhador verifique se suas obrigações e direitos estão sendo devidamente cumpridos.

O caso da Dell Computadores do Brasil Ltda.:

No referido caso, uma analista de processamento de ordens da Dell Computadores do Brasil Ltda. questionou o regime de compensação de banco de horas adotado pela empresa. Ela argumentou que não tinha acesso ao controle do saldo de horas, o que comprometia a lisura do sistema de compensação. Em primeira instância, a Vara do Trabalho de Guaíba (RS) considerou inviável o regime de compensação e determinou o pagamento de horas extras.

A decisão do TST:

Após o recurso da empresa, o TST analisou o caso e considerou inválido o banco de horas adotado pela Dell. A Subseção I Especializada em Dissídios Individuais (SDI-1) baseou sua decisão em jurisprudência consolidada, entendendo que a falta de controle do saldo de horas impede o trabalhador de verificar o cumprimento das obrigações previstas na norma coletiva. A relatora do caso, ministra Maria Cristina Peduzzi, mencionou diversos precedentes do TST que reforçam a importância do acompanhamento do saldo de horas para garantir a transparência e a justiça nas relações trabalhistas.

Implicações e reflexões:

A decisão do TST reforça a necessidade de os empregadores assegurarem um sistema eficaz de controle do saldo de horas no banco de horas. A transparência nesse processo é crucial para garantir a integridade do sistema de compensação e o respeito aos direitos dos trabalhadores. Além disso, o caso da Dell ressalta a importância de se observar as disposições legais e normativas ao implementar o banco de horas, uma vez que a CLT exige que o trabalhador possa acompanhar o cálculo dos créditos e débitos de horas.

O banco de horas é uma ferramenta válida para flexibilizar a jornada de trabalho, desde que haja um controle transparente do saldo de horas. A decisão do TST no caso da Dell Computadores do Brasil Ltda. reforça a necessidade de os empregadores garantirem a transparência e a eficácia desse controle. A observância das disposições legais e normativas é essencial para evitar conflitos e garantir relações trabalhistas justas. Portanto, a implementação de um sistema de controle de saldo de horas é fundamental para a validade e a adequação do banco de horas no contexto atual.

bottom of page